A Canção da Terra
A Canção da Terra

©Nicolau Spadoni

press to zoom
A Canção da Terra
A Canção da Terra

©Nicolau Spadoni

press to zoom
A Canção da Terra
A Canção da Terra

©Nicolau Spadoni

press to zoom
flyer_encontro_YOSHI_OIDA_final.jpg
flyer_espetaculo_YOSHI_OIDA.jpg

Teatro & Ópera | CRIAÇÃO | 2017

YOSHI OIDA


A Canção da Terra

A Canção da Terra é uma das últimas obras de Gustav Mahler, em que a angústia existencial e uma sublime grandiosidade estão em uma conjunção quase perfeita.
 Mahler criou quase exclusivamente sinfonias e ciclos de canções, e foram nestas formas que ele desenvolveu toda a sua singular criação, conseguindo nestes dois domínios musicais uma síntese genial e inconfundível. Mahler musicou alguns poemas chineses por encontrar uma profunda identificação com o espírito daqueles poemas. Escolhendo seis dentre os oitenta e três poemas de uma coletânea de poetas chineses, de autoria de Li-Tai-Po, Tchang-Tsi, Mong-Kao-Yen e Wang-Wei, grandes poetas chineses do século XIII. Todos estes poemas falam da Terra, da natureza e da solidão do homem no seio desses elementos. Mahler mesclou com suas experiências de vida estas histórias criando A Canção da Terra como um documento pessoal e profundamente comovente do seu último período de criação.

 

Yoshi Oida cria para esta obra um momento em que todo o esplendor da Terra e da natureza estão expressos. A limpeza e precisão de um jardim zen japonês é o espaço cênico ideal para esta representação, onde os dois cantores, e quatro atores representando monges em um monastério budista, exprimem toda a melancolia e tristeza pela Terra em seu declínio, momento atual em
 que a crise ecológica aqui surge como uma crise que atravessa a questão científica, avançando sobre o homem, senhor e destruidor da natureza. A atualidade deste tema, deste lamento por uma natureza que em todo seu esplendor esta se esgotando se mostra inteira nos poemas chineses e nas imagens cênicas criadas por Yoshi Oida.

YOSHI OIDA

Nascido no Japão, é ator, diretor e autor radicado em Paris. Teve formação no teatro tradicional japonês, antes de ir para França, em 1968, onde integrou o grupo de Peter Brook, participando de muitos dos seus espetáculos mais importantes. Alguns anos depois começou a dirigir peças e óperas no mundo todo, usando uma combinação única das técnicas orientais e ocidentais de teatro. Oida é aquilo que seu mais conhecido livro sugere em seu título: um ator errante. Se imortalizou junto ao diretor inglês Peter Brook, através das diversas peças que fizeram juntos, mas também pelos filmes em que participou, como na versão cinematográfica do Mahabharata de Brook, além de O Livro de Cabeceira, de Peter Greenway e mais recentemente Silêncio, de Martin Scorcese. Os seus livros sobre técnicas de interpretação, Um Ator Errante, O Ator Invisível e Artimanhas do Ator, se tornaram antológicos e foram traduzidos em diversas línguas. Aclamado na França, onde vive, foi condecorado com os títulos de Chevalier (1992), Officier (2007) e Commandeur (2013) de l'Ordre des Arts et Lettres. 

A CANÇÃO DA TERRA

de  GUSTAV MAHLER

direção  YOSHI OIDA

regente  ÉRICA HINDRIKSON 

cenário e figurino  TOM SCHENK

iluminação  HENRY VAN NIEL

diretor assistente  SAMUEL VITTOZ

coordenação musical  RICARDO FUKUDA 

regente assistente  ANDREY IVANOV 

pianista correpetidor  HELDER CAPUZZO 

 

com

mezzo-soprano  MASAMI GANEV   

tenor  MIGUEL GERALDI   

orquestra  ENSEMBLE INSTITUTO FUKUDA 

monges  FABRÍCIO LICURSI, GUM TANAKA, JIMMY WONG, TOSHI TANAKA

 

diretor técnico  JULIO CESARINI

assistentes de produção MARIANA MASTROCOLA

diretora de palco LARA BORDIN

coordenadora de luz PATRÍCIA SAVOY

operador de luz  IGOR SANE

coordenador de som  RODRIGO GAVA

operador de som  DANILO CRUVINEL

cenotécnicos  ENRIQUE CASAS, FERNANDO ZIMOLO, RAFAEL DE ALCÂNTARA, WANDERLEY WAGNER DA SILVA

projeto gráfico  ÉRICO PERETTA

 

produção CENACULT PRODUÇÕES, PROD.ART.BR

diretores de produção  JULIA GOMES, RICARDO FRAYHA, RICARDO MUNIZ FERNANDES

apoio  Fundação Nacional de Artes – Funarte, Fundação Japão

Realização: Sesc SP

Sesc Pinheiros

São Paulo, SP, Brasil

16/12/2017 a 14/01/2018