A Dama do Mar
A Dama do Mar

©Luciano Romano

press to zoom
A Dama do Mar
A Dama do Mar

©Luciano Romano

press to zoom
A Dama do Mar
A Dama do Mar

©Luciano Romano

press to zoom
A Dama do Mar
A Dama do Mar

©Luciano Romano

press to zoom
A Dama do Mar
A Dama do Mar

©Luciano Romano

press to zoom
A Dama do Mar
A Dama do Mar

©Luciano Romano

press to zoom
A Dama do Mar
A Dama do Mar

©Luciano Romano

press to zoom
Screen Shot 2020-06-18 at 13.38.50.png

Teatro | CRIAÇÃO | 2013

ROBERT WILSON

A Dama do Mar

Susan Sontag escreveu a adaptação da peça clássica de Ibsen para Robert Wilson, uma exploração moderna dessa história de Ellida, uma mulher cuja vida inicial fora uma de grande liberdade pessoal vivendo no mar selvagem da Noruega com o pai e, após sua morte, se casa com um viúvo mais velho com duas filhas e se vê presa, longe do mar. A música de Michael Galasso é a base para uma paisagem sonora que une adaptações de canções folclóricas escandinavas tradicionais, seu próprio violino e sons do mar, os gritos de gaivotas. Seis atores atuam nessa adaptação de uma história escrita há um século na Noruega que se mostrou acessível ao público moderno em toda a Europa. Originalmente encenado na Itália (1998), com Dominique Sanda no papel principal, foi remontada na Coréia-do-Sul com uma companhia de atores coreanos, onde provou o sucesso no Seoul Theatre Festival, o primeiro trabalho de Wilson a ser visto na Coréia. Em seguida, foi apresentado no Teatr Dramatyczny Warsaw com um novo elenco de atores poloneses e mantido em repertório por dois anos. em 2008, uma nova versão foi produzida com todo o elenco espanhol, o papel de Ellida interpretado pela famosa atriz Angela Molina. Com figurinos (de Giorgio Armani) que refletem as muitas cores do mar, e um cenário de madeira simples e elegante que lembra o convés de um navio, onde as mudanças de cena são indicadas apenas com a adição de um pano semelhante a uma vela e com as mudanças da luz, Wilson criou uma obra que enche o teatro com o desejo de Ellida pelo mar. Em A Dama do Mar, quarto projeto em parceria com o Sesc-SP, o encenador norte-americano Robert Wilson dirige, pela primeira vez, um elenco formado só por brasileiros, e com um diferencial em relação às montagens já realizadas na Espanha, Coreia, Polônia e Itália: aqui, o papel da protagonista, Ellida Wangel, assim como o de sua enteada, Bollete, é alternado por duas atrizes.

ROBERT WILSON

 

Nascido em Waco, Texas, Wilson está entre os principais artistas visuais e de teatro do mundo. Seus trabalhos para o palco não convencionalmente integram uma ampla variedade de mídias artísticas, incluindo dança, movimento, iluminação, escultura, música e texto. Suas imagens são esteticamente impressionantes e carregadas de emoção, e suas produções são aclamadas pelo público e pela crítica em todo o mundo. Após ser educado na Universidade do Texas e no Pratt Institute do Brooklyn, Wilson fundou o coletivo de performances “The Byrd Hoffman School of Byrds”, em Nova York, em meados da década de 1960 e desenvolveu seus primeiros trabalhos autorais, incluindo Deafman Glance (1970) e A Letter to Queen Victoria (1974-1975). Com Philip Glass, ele escreveu a ópera seminal Einstein on the Beach (1976). Os colaboradores artísticos de Wilson incluem muitos escritores e músicos como Heiner Müller, Tom Waits, Susan Sontag, Laurie Anderson, William Burroughs, Lou Reed, Jessye Norman e Anna Calvi. Ele também deixou sua marca em obras-primas como A Última Gravação de Kapp de Beckett,  A Ópera dos Três Vinténs de Brecht/Weill, Pelléas et Melisande, de Debussy, Fausto de Goethe, A Odisseia de Homero, Fábulas de Jean de la Fontaine,  Madama Butterfly de Puccini, La Traviata de Verdi e Édipo de Sófocles. Os desenhos, pinturas e esculturas de Wilson foram apresentados em todo o mundo em centenas de exposições individuais e coletivas, e seus trabalhos estão presentes em coleções particulares e museus em todo o mundo. Wilson foi agraciado com vários prêmios de excelência, incluindo uma indicação ao Prêmio Pulitzer, dois prêmios Ubu, o Leão de Ouro da Bienal de Veneza e um Prêmio Olivier. Ele foi eleito para a Academia Americana de Artes e Letras, bem como para a Academia Alemã de Artes, e possui oito títulos de Doutor Honoris Causa. A França o declarou Comandante da Ordem das Artes e das Letras (2003) e Oficial da Legião de Honra (2014); A Alemanha concedeu a ele a Cruz da Ordem do Mérito do Oficial (2014). Wilson é o fundador e diretor artístico do The Watermill Center, um laboratório para as artes em Water Mill, Nova York.

A DAMA DO MAR

texto de Susan Sontag | baseado na peça de Henrik Ibsen | tradução: Fábio Fonseca de Melo | revisão e adaptação: Leila Guenther

 

direção, cenário e conceito de luz: Robert Wilson | música: Michael Galasso | figurino: Giorgio Armani | co-direção: Giuseppe Frigeni | desenho de luz: A.J. Weissbard | desenho de som: Peter Cerone | visagismo: Luc Verschueren | colaboração para cenário: Peter Bottazzi e Valentina Tescari

 

com Lígia Cortez (Ellida Wangel / Bolette Wangel*) | Ondina Clais Castilho (Ellida Wangel / Bolette Wangel*) | Hélio Cícero (Hartwig Wangel) | Luiz Damasceno (Arnholm) | Felipe Sacon (O estrangeiro) | Bete Coelho (Hilde Wangel) - participação especial | * alternância de papéis

 

assistência de direção: André Guerreiro Lopes | assistente de luz: Fiammetta Baldiserri | direção de cena: Rafael Bicudo | operador de som: Rodrigo Gava | técnico de som: Antonio Lopes Simplicio Neto | operador de luz: Isadora Giuntini | técnicos de iluminação: André Luiz Pierre Vilar e Ducastam Martins Neto | maquiador: Emerson Murad | assistente: Guilherme Vieira Souto | aderecistas: Ednomar Mendonça e Wanderley Wagner | cenotécnicos: Wanderley Wagner, Willian Torres, Ednomar Mendonça, Nelson Fracolla, Maicron dos Santos, Roberto Rodrigues, Enrique Casas e Paulo Ricardo | camareira: Alba Rezende | operadores canhão seguidor (luz): Patrícia Savoy Ferreira Francisco, Rodrigo Campos de Oliveira Correa, Pedro Melão Ferreira e Júlia Freitas | maquinista: Paulo Ricardo

 

projeto de Change Performing Arts, Milão, Itália | diretores artísticos: Franco Laera e Elisabetta di Mambro | relações públicas e comunicação: Maristela Gaudio | coordenadora de produção: Virginia Forlani  | assistente pessoal de Robert Wilson: Julian Mommert 

 

produção no Brasil: prod.art.br | direção de produção: Ricardo Muniz Fernandes | produção executive: Daniel Córdova, Ricardo Frayha | administração de produção: Matthias Pees | coordenação de comunicação: Carminha Gongora | direção técnica: Júlio Cesarini | coordenação técnica: Ana Cristina Irias

Realização: Sesc São Paulo

Sesc Santos 

Santos, SP, Brasil

16 e 17/05/2013

Teatro Paulo Autran - Sesc PInheiros

São Paulo, SP, Brasil

25/05 a 07/07/2013