Die Perser
Die Perser

©Iko Freese/DRAMA

press to zoom
Die Perser
Die Perser

©Iko Freese/DRAMA

press to zoom
Die Perser
Die Perser

©Iko Freese/DRAMA

press to zoom
Die Perser
Die Perser

©Iko Freese/DRAMA

press to zoom
Die Perser
Die Perser

©Iko Freese/DRAMA

press to zoom

Teatro | TURNÊ | 2008

DIMITER GOTSCHEFF

DEUTSCHES THEATER

Os Persas

Em 480 aC, os persas perderam a batalha de Salamina para os gregos, a quem eles haviam anteriormente oprimido. Oito anos depois, Ésquilo escreveu Os Persas, que é considerada a peça de teatro sobrevivente mais antiga do mundo. Aqui está um grego falando com outros gregos como se ele fosse um persa, descrevendo essa grande batalha do ponto de vista do inimigo derrotado. Ésquilo dá voz aos responsáveis ​​pelo fiasco, desde o Coro dos Anciãos até o comandante militar derrotado, o Rei Xerxes. O dramaturgo examina a história contemporânea, mas de um ponto de vista que incorpora passado e futuro. Ele mostra que os vencedores de hoje são os perdedores de amanhã. Mesmo quando os mortos são rapidamente enterrados e esquecidos, eles permanecem presentes. "O que é fascinante em textos antigos como este", escreve o dramaturgo Heiner Müller, "é o quão pouco mudou". Dimiter Gotscheff sintetiza as traduções de Müller e Peter Witzmann da peça em sua encenação de Os Persas, que foi eleita "Produção do ano de 2007" pela pesquisa dos críticos na revista especializada Theatre Heute.

DIMITER GOTSCHEFF​

Nascido na Bulgária em 1943, Dimiter Gotscheff foi para Berlim Oriental no início dos anos sessenta para estudar medicina veterinária. Ele logo se tornou aluno e colega de Benno Besson no Deutsches Theatre e no Volksbühne na Rosa Luxemburg Platz, em Berlim. Em particular, suas produções de Heiner Müller, incluindo
Philoktet em Sofia, em 1983, e Quartett em Colônia, em 1985, causaram uma grande repercussão. A partir de meados dos anos oitenta, dirigiu em muitos teatros de língua alemã, de Viena a Hamburgo. Suas produções podiam ser vistas regularmente no Berlin Theatertreffen, incluindo sua versão de 2006 de Ivanov de Tchekhov, do Berlin Volksbühne, bem como a produção de 2007 de Tartuffe de Molière, uma coprodução do Salzburg Festspiele e Thalia Theater. No mesmo ano, Os Persas, dirigido por ele no Deutsches Theatre em Berlim, foi eleito Produção do Ano na votação anual da crítica realizada pela revista Theaterheute. Dimiter Gotscheff recebeu o Prêmio Peter Weiss, concedido pela cidade de Bochum. Na temporada 2009/2010, ele estreou sua produção Ödipus, Tyrann de Sophocles / Hölderlin / Heiner Müller no Thalia Theatre. Em Antígona, na tradução de Friedrich Hölderin, Dimiter Gotscheff continuou sua investigação intensiva idos clássicos gregos. Sua produção de Immer noch Sturm, de Peter Handke, no Thalia, uma coprodução com o Salzburg Festspielen, foi eleita peça do ano de 2012 e recebeu o Mülheim Dramatikerpreis. Dimiter Gotscheff morreu em † 20 de outubro de 2013.

OS PERSAS

Texto: Ésquilo | Tradução: Heiner Müller, em cima de Peter Witzmann e Coral Margit | Direção: Dimiter Gotscheff | Cenário e figurino: Mark Lammert | Dramaturg: Bettina Schültke | Iluminação: Olaf Freese | Visagismo: Andreas Müller | Assistência de direção: Jakob Fedler | com Margit Bendokat, Almut Zilcher, Samuel Finzi, Wolfram Koch

Produção no Brasil: prod.art.br | Direção de produção: Matthias Pess | Produção executiva: Ricardo Frayha | Direção técnica: Julio Cesarini

 

Realização: Goethe-Institut, Sesc São Paulo e Festival Internacional de Teatro Porto Alegre em Cena

Sesc Pinheiros

São Paulo, SP, Brasil

29 e 30/08/2008

Festival POA em Cena

Theatro São Pedro

Porto Alegre, RS, Brasil

03 e 04/09/2008