Flexn
Flexn

©Clementine Crochet (courtesy Park Avenue Armory)

press to zoom
Flexn no Sesc Vila Mariana
Flexn no Sesc Vila Mariana

©Matheus José Maria (cortesia Sesc-SP)

press to zoom
Flexn no Sesc Vila Mariana
Flexn no Sesc Vila Mariana

©Matheus José Maria (cortesia Sesc-SP)

press to zoom
Flexn no Sesc Vila Mariana
Flexn no Sesc Vila Mariana

©Matheus José Maria (cortesia Sesc-SP)

press to zoom
Flexn no Sesc Vila Mariana
Flexn no Sesc Vila Mariana

©Matheus José Maria (cortesia Sesc-SP)

press to zoom
Flexn no Sesc Vila Mariana
Flexn no Sesc Vila Mariana

©Matheus José Maria (cortesia Sesc-SP)

press to zoom
Flexn no Sesc Vila Mariana
Flexn no Sesc Vila Mariana

©Matheus José Maria (cortesia Sesc-SP)

press to zoom
Flexn no Sesc Vila Mariana
Flexn no Sesc Vila Mariana

©Matheus José Maria (cortesia Sesc-SP)

press to zoom
Flexn no Sesc Vila Mariana
Flexn no Sesc Vila Mariana

©Matheus José Maria (cortesia Sesc-SP)

press to zoom

Dança & Teatro | TURNÊ | 2019

REGGIE (REGG ROC) GRAY
PETER SELLARS

Flexn

Caracterizado por pausas, estalos, deslizes, “ossos quebrados”, movimentos animados e contorções, o flex é uma forma de dança de rua que evoluiu a partir do brukup jamaicano encontrado em salas de dança e clubes de reggae no Brooklyn. Das páginas do The New Yorker, até as pequenas telas de competições de dança e videoclipes, e até mesmo na tela grande do Tribeca Film Festival, a cultura flex aportou no léxico dominante e criou um vocabulário de movimentos totalmente novo na dança pós-moderna. Em 2015, esse fenômeno eletrizante foi apresentado no Park Avenue Armory como FLEXN, um projeto que confronta as disparidades de justiça social e mostra uma companhia de dançarinos que explora narrativas pessoais através desse vocabulário único da dança pós-moderna. Criado na era da agitação pós decisões sobre os assassinatos de Michael Brown em Ferguson, Missouri, e Eric Garner em Nova York, este novo e poderoso trabalho é encenado pelo diretor visionário Peter Sellars e o pioneiro flex Reggie (Regg Roc) Gray em colaboração com uma equipe de dançarinos flex dos bairros onde o movimento Black Lives Matter tomou forma. Apresentando tanto individualmente como em grupos na coreografia criada pelo próprio grupo, os dançarinos utilizam a beleza de seus movimentos de tirar o fôlego para contar histórias profundamente humanas e às vezes comoventes que abordam questões preocupantes do nosso tempo

REGGIE (REGG ROC) GRAY

 

Reggie Gray, nascido no Brooklyn, é pioneiro da dança flex. Nos últimos anos coreografou esta que vem a ser sua maior produção, FLEXN, no Park Avenue Armory, com a qual excursionou para o Brisbane Festival na Austrália, o Festival de Marseille na França, o Napoli Teatro Festival na Itália, o Jacob's Pillow Dance Festival em Berkshires, Massachusetts, e na residência do Dartmouth College em New Hampshire, dentre outros. Recentemente coreografou, para o Public Works, a produção teatral The Odyssey, em Nova York. Gray ganhou vários títulos de dança, dançou em videoclipes, programas de televisão e competições - exibiu suas criações de movimentos na terceira temporada da America’s Best Dance Crew e fundou uma competição de dança chamada The D.R.E.A.M. RING (Dance Rules Everything Around Me). Gray é especialista em pauzin, um estilo de flex cinemático e animado que ele desenvolveu no início de sua carreira. Os estilos presentes em FLEXN incluem bone breaking, pauzin, gliding, get low/floor, connecting, hat tricks, e punchlines, influenciados pelos estilos de dança de rua jamaicana dos anos 90, como o brukup e o dancehall. Gray passa seu tempo coreografando produções que falam sobre eventos atuais (como a brutalidade policial), organizando batalhas e performances, e preenchendo qualquer tempo livre filmando e editando trabalhos de dança. Ele espera que o crescimento e a popularidade de FLEXN continuem a ganhar espaço.

PETER SELLARS

 

Peter Sellars ganhou fama internacional por suas interpretações transformadoras de obras de arte universais e por projetos colaborativos com uma gama extraordinária de artistas criativos. Ele encenou óperas na Dutch National Opera, English National Opera, Lyric Opera of Chicago, Opéra National de Paris, e no Salzburg Festival, entre outros, e estabeleceu uma reputação de trazer óperas contemporâneas do século XX ao palco. Sua mais recente colaboração com o compositor John Adams, Girls of the Golden West, teve sua estreia mundial na San Francisco Opera em novembro de 2017. Seus projetos de teatro com maior destaque incluem uma encenação de O Mercador de Veneza, de Shakespeare, passado no sul da Califórnia, com um elenco de atores negros, brancos, latinos e asiático-americanos e uma produção em cima de Eurípides, Os Filhos de Héracles, com foco nas questões e experiências contemporâneas de imigração e refugiados. Desdêmona, a aclamada colaboração de Sellars com a escritora Toni Morrison, ganhadora do Prêmio Nobel, e a compositora e cantora maliana, Rokia Traoré, foi apresentada nas principais cidades da Europa, EUA e Austrália. Sellars dirigiu diversos festivais de artes pelo mundo, incluindo o Los Angeles Festival e o Adelaide Arts Festival. Foi diretor artístico do New Crowned Hope, um festival em Viena, para o qual convidou artistas de diversas origens culturais para criar novos trabalhos nos campos da música, teatro, dança, cinema, artes visuais e arquitetura para a celebração de 250º aniversário de nascimento de Mozart. Sellars também atuou como diretor musical da edição especial de 70 anos do Ojai Music Festival, na Califórnia. É professor ilustre do Departamento de Artes e Culturas Mundiais da UCLA, curador residente do Telluride Film Festival e foi mentor da Rolex Arts Initiative. Seus prêmios incluem uma MacArthur Fellowship, o prêmio Erasmus por contribuições à cultura europeia e o prêmio Polar Music. Peter Sellars é membro da Academia Americana de Artes e Ciências.

FLEXN

uma colaboração REGGIE (REGG ROC) GRAY, PETER SELLARS E MEMBROS DA COMUNIDADE FLEX

 

Escultura de luz e desing de luz: BEN ZAMORA | Figurinista: ANGELA WENDT | Mixagem musical: EPIC B | Diretora associada: CHARLOTTE BRATHWAITE | Gerente de produção: ANDREW LULLING | Diretora de palco: BETSY AYER | Gerente da companhia e assistente de produção: ABENA FLOYD | Produtor executivo: PARK AVENUE ARMORY | Consultora de produção: DIANE J. MALECKI | Produtora: AVERY WILLIS HOFFMAN

 

Companhia

ANDROID……..    MARTINA HEIMANN

BANKS…….…..    JAMES DAVIS

BRIXX……………    SEAN DOUGLAS

CAL……………..…   CALVIN HUNT

DAYNTE.….....…   DEIDRA BRAZ

DOC………...…...    AARON FRAZIER

DRE DON.…....    ANDRE REDMAN

DROID…….......     RAFAEL BURGOS

KARNAGE.......    QUAMAINE DANIELS

REGG ROC.……   REGGIE GRAY

SCORP……..……   DWIGHT WAUGH

SHELLZ….....…   SHELBY FELTON

SLICC…….....…    DERICK MURRELD

TYME………...…    GLENDON CHARLES

 

Estreou no Park Avenue Armory, em Nova York, em março de 2015.

 

Originalmente comissionado e produzido pelo PARK AVENUE ARMORY, NY, EUA.

Produção no Brasil: PROD.ART.BR | Diretores de produção: RICARDO FRAYHA, RICARDO MUNIZ FERNANDES | Diretor técnico: JULIO CESARINI

Realização: Sesc São Paulo

Teatro Antunes Filho, Sesc Vila Mariana

São Paulo, SP, Brasil

17 a 20/10/2019

Flexn - flyer.jpg