Garrincha
Garrincha

©Julian Mommert

press to zoom
Garrincha
Garrincha

©Julian Mommert

press to zoom
Garrincha
Garrincha

©Julian Mommert

press to zoom
Garrincha
Garrincha

©Julian Mommert

press to zoom
Garrincha
Garrincha

©Julian Mommert

press to zoom
Garrincha
Garrincha

©Julian Mommert

press to zoom
Garrincha
Garrincha

©Julian Mommert

press to zoom

Teatro | CRIAÇÃO | 2016

ROBERT WILSON

Garrincha - uma ópera das ruas

Garrincha é uma peça de cinco atos com um prólogo e um epílogo, criada por Robert Wilson a partir da história deste ídolo brasileiro. Dos campos de futebol à boemia carioca, o jogador consagrado no Botafogo e na Seleção Brasileira é personagem de uma obra em que Robert Wilson desenha, no ritmo, no cenário e na luz, cenas que apresentam o exterior e o interior do herói. A música e a dança em Garrincha nos trazem um clima e são elementos fundamentais no arranjo dramático, com as cores e as texturas do Brasil em que Wilson coloca esta lenda do futebol. Marca registrada de seu trabalho, o raro controle de Robert Wilson sobre a arte do palco, a orquestração das relações entre música e fala, movimento, corpo, figurinos e luz, luz e espaço, símbolo e significado, busca explorar e enriquecer as possibilidades narrativas de uma biografia tornada mito. Wilson continua a buscar inspiração para suas peças em tradições culturais ao redor do globo, seja de Brecht, seja do futebol. Para este teatro universal, Robert Wilson desenvolveu uma linguagem bastante pessoal. Trata-se de um teatro no qual a inteligência está a serviço do coração. Ao criar o vocabulário de seu teatro, Wilson adapta técnicas para responder aos problemas formais que o palco apresenta. Design e estrutura vêm em primeiro lugar, reflexo de sua formação como arquiteto e seu temperamento como pintor.

ROBERT WILSON

 

Nascido em Waco, Texas, Wilson está entre os principais artistas visuais e de teatro do mundo. Seus trabalhos para o palco não convencionalmente integram uma ampla variedade de mídias artísticas, incluindo dança, movimento, iluminação, escultura, música e texto. Suas imagens são esteticamente impressionantes e carregadas de emoção, e suas produções são aclamadas pelo público e pela crítica em todo o mundo. Após ser educado na Universidade do Texas e no Pratt Institute do Brooklyn, Wilson fundou o coletivo de performances “The Byrd Hoffman School of Byrds”, em Nova York, em meados da década de 1960 e desenvolveu seus primeiros trabalhos autorais, incluindo Deafman Glance (1970) e A Letter to Queen Victoria (1974-1975). Com Philip Glass, ele escreveu a ópera seminal Einstein on the Beach (1976). Os colaboradores artísticos de Wilson incluem muitos escritores e músicos como Heiner Müller, Tom Waits, Susan Sontag, Laurie Anderson, William Burroughs, Lou Reed, Jessye Norman e Anna Calvi. Ele também deixou sua marca em obras-primas como A Última Gravação de Kapp de Beckett,  A Ópera dos Três Vinténs de Brecht/Weill, Pelléas et Melisande de Devussy, Fausto de Goethe, A Odisseia de Homero, Fábulas de Jean de la Fontaine,  Madama Butterfly de Puccini, La Traviata de Verdi e Édipo de Sófocles. Os desenhos, pinturas e esculturas de Wilson foram apresentados em todo o mundo em centenas de exposições individuais e coletivas, e seus trabalhos estão presentes em coleções particulares e museus em todo o mundo. Wilson foi agraciado com vários prêmios de excelência, incluindo uma indicação ao Prêmio Pulitzer, dois prêmios Ubu, o Leão de Ouro da Bienal de Veneza e um Prêmio Olivier. Ele foi eleito para a Academia Americana de Artes e Letras, bem como para a Academia Alemã de Artes, e possui oito títulos de Doutor Honoris Causa. A França o declarou Comandante da Ordem das Artes e das Letras (2003) e Oficial da Legião de Honra (2014); A Alemanha concedeu a ele a Cruz da Ordem do Mérito do Oficial (2014). Wilson é o fundador e diretor artístico do The Watermill Center, um laboratório para as artes em Water Mill, Nova York.

GARRINCHA - UMA ÓPERA DAS RUAS 

direção, cenário e conceito de luz: Robert Wilson | idealização: Danilo Santos de Miranda | texto e dramaturgia: Darryl Pinckney | direção musical: Hal Willner | codireção: Charles Chemin | figurinos: Carlos Soto | cenógrafa associada: Annick Lavallée-Benny | desenho de luz: John Torres | visagismo: Manuela Halligan | supervisão de luz: Marcello Lumaca | consultoria no desenho: de luz A.J. Weissbard | consultor: Carlos Augusto Calil | com: Carol Bezerra, Claudia Noemi, Claudinei Brandão, Cleber D'Nuncio, Dandara Mariana, Daniel Infantini, Fernanda Faran, Jhe Oliveira, Lucas Wickhaus, Naruna Costa, Nathália Mancinelli, Roberta Estrela D’Alva, Robson Catalunha | elenco convidado: Bete Coelho, Lígia Cortez, Luiz Damasceno | músicos: Alexandre Ribeiro, Fabricio Rosil, João Poleto, Roberta Valente, Samba Sam, Zé Barbeiro | assistência de direção: André Guerreiro Lopes

projeto e produção internacional: Change Performing Arts, Milão, Itália | diretor: Franco Laera | coordenadora de produção: Simona Fremder | relações públicas e tradução do texto: Maristela Gaudio

Produção no Brasil: prod.art.br | direção de produção: Ricardo Muniz Fernandes e

Ricardo Frayha | administração Matthias Pees | direção técnica Júlio Cesarini 

Realização: Sesc São Paulo

Teatro Paulo Autran - Sesc Pinheiros

São Paulo, SP, Brazil

23/04 to 29/05/2016

Garrincha - flyer.jpg