La Despedida
La Despedida

©Rolf Abderhalden

press to zoom
La Despedida
La Despedida

©Rolf Abderhalden

press to zoom
LaDespedida
LaDespedida

©Rolf Abderhalden

press to zoom
La Despedida
La Despedida

©Rolf Abderhalden

press to zoom
La Despedida
La Despedida

©Rolf Abderhalden

press to zoom
La Despedida
La Despedida

©Rolf Abderhalden

press to zoom
La Despedida
La Despedida

©Rolf Abderhalden

press to zoom

Teatro | TURNÊ | 2018

MAPA TEATRO

La Despedida

La Despedida é a última peça da trilogia Anatomia da violência na Colômbia, projeto iniciado em 2009 e que culminou em 2017 no marco da aplicação dos acordos de paz assinados recentemente entre os guerrilheiros das FARC e o governo colombiano. Assim como as duas primeiras partes desse tríptico - Los Santos Inocentes e Discurso de un Hombre Decente -, essa peça utiliza um dispositivo artístico que questiona, a partir de diferentes pontos de vista, a relação complexa entre festa e violência na Colômbia. Uma sucessão de celebrações que revelam, por sua vez, uma alegoria dos dispositivos de guerra e morte utilizados desde a década de 1950 por três dos atores da violência na Colômbia: a guerrilha, os paramilitares e os narcotraficantes. Instalação teatral e montagem poética de arquivos audiovisuais e testemunhos escritos, documentos reais e fictícios, atores e testemunhas, sons elétricos e música ao vivo... La Despedida é para os irmãos Heidi e Rolf Abderhalden, diretores do Mapa Teatro, uma oportunidade para rever os 52 anos de conflito interno na Colômbia – o mais antigo da história moderna – e suas mais de sete milhões de vítimas.  

MAPA TEATRO

O Mapa Teatro é um laboratório de artistas dedicado à criação transdisciplinar. Sediado em Bogotá desde 1986, o Mapa Teatro foi fundado em Paris em 1984 por Heidi, Elizabeth e Rolf Abderhalden, artistas visuais e de teatro da Colômbia. Desde a sua criação, o Mapa Teatro construiu uma cartografia no meio das artes vivas, um espaço propício para transgredir - fronteiras geográficas, linguísticas, artísticas - e encenar questões locais e globais por meio de várias operações de "montagem de pensamentos". Um espaço de migração, onde mito, história e atualidade existem continuamente; esferas íntimas e públicas; linguagens artísticas (teatro, ópera, cabaré, rádio, instalações de som e vídeo, intervenções urbanas, ações e conferências performáticas); autores e épocas (Ésquilo, Müller, Shakespeare, Sarah Kane, Antonio Rodriguez, Händl Klaus); geografias e idiomas (La Noche / Nuit em francês e espanhol; Muelle Oeste em russo, Un señor muy viejo con una alas enormes em tamul; De Mortibus em inglês, espanhol e francês; voz, imagem e movimento (Psicosis 4:48, Simplemente complicado); memória e cidade (Proyecto Prometeo, La limpieza de los Establos de Augías, Testigo de las Ruinas, Cartografías movedizas); voz, música e eletrônica ao vivo (Simplemente complicado, Historia de amor, La flauta mágica, Orfeo) simulação e realidade (Exxxtrañas Amazonas, Trans/posiciones), documento e ficção, poética e política (Horacio, Los Santos inocentes, Discurso de un Hombre Decente y Los incontados: un tríptico). Daí o interesse do Mapa Teatro nos processos e eventos criativos "in vivo"; na tradução e transposição de escritos e partituras cênicas; e na operação de reunir documentação, arquivos e ficções. Nos últimos anos, o Mapa Teatro concentrou-se particularmente na produção de eventos político-poéticos através da construção de etno-ficções e da criação efêmera de comunidades experimentais. O Mapa Teatro gera processos de investigação e pesquisa artística, desenvolvidas em diversas esferas e cenários de uma realidade colombiana. São laboratórios de imaginação social.

LA DESPEDIDA

Concepção e direção: Heidi Abderhalden, Rolf Abderhalden | Dramaturgia: Matthias Pees, Jean Tible, Marta Ruiza | Com a participação de: Heidi Abderhalden, Rolf Abderhalden, Agnes Brekke, Andrés Castañeda, Julián Díaz, Miguel Molina, Santiago Sepúlveda | Cenografia: Pierre Henri Magnin | Música e concepção sonora: Juan Ernesto Díaz | Música ao vivo: Mario Antonio Morán, Juan Ernesto Díaz | Figurinos: Elizabeth Abderhalden | Desenho de luz e direção técnica: Jean François Dubois | Edição de vídeo: Ximena Vargas, Luis Antonio Delgado | Vídeo ao vivo: Ximena Vargas | Diretor de palco: José Ignacio Rincón | Produção: Mapa Teatro, José Ignacio Rincón, Ximena Vargas | Produção e difusão na Europa: Camille Barnaud, Les Indépendances

 

Co-produção: Ministério de Cultura de Colômbia, Institut Français, Théâtre de la Ville (Paris), Festival d’Automne à Paris, Théâtre Vidy-Lausanne, Festival Sens Interdits (Lyon), La Rose des Vents -Next Festival (Villeneuve d’Ascq), Festival FAB (Bordeaux), Monsouturm (Frankfurt).
 

 

Produção no Brasil: Performas Produções, prod.art.br | Diretores de produção: Andrea Caruso Saturnino, Ricardo Muniz Fernandes, Ricardo Frayha | Direção técnica: Julio Cesarini

Realização: Sesc São Paulo

Mirada Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas

Sesc Santos, Santos, SP, Brasil

09 e 10/09/2018

Sesc Pinheiros, São Paulo, SP, Brasil

13 a 15/09/2018