Der fliegende Holländer
Der fliegende Holländer

©cortesia Festival Amazonas de Ópera

press to zoom
Der fliegende Holländer
Der fliegende Holländer

©cortesia Festival Amazonas de Ópera

press to zoom
Der fliegende Holländer
Der fliegende Holländer

©cortesia Festival Amazonas de Ópera

press to zoom
Der fliegende Holländer
Der fliegende Holländer

©cortesia Festival Amazonas de Ópera

press to zoom
Der fliegende Holländer
Der fliegende Holländer

©cortesia Festival Amazonas de Ópera

press to zoom
Der fliegende Holländer
Der fliegende Holländer

©cortesia Festival Amazonas de Ópera

press to zoom

Ópera | CRIAÇÃO | 2007

CHRISTOPH SCHLINGENSIEF

O Navio Fantasma

Christoph Schlingensief dirigiu O Navio Fantasma, de Richard Wagner, para o Festival Amazonas de Ópera e pelas ruas de Manaus. O diretor do festival, Luiz Fernando Malheiro, foi o diretor musical. A abertura do festival de ópera foi com uma grande parada de músicos, público, escolas de samba locais e carros alegóricos modificados pela cidade e ao longo do Rio Negro, enquanto várias partes da ópera eram apresentadas em locais ao ar livre, com a intenção de demonstrar o caráter popular da música de Wagner, alcançar e envolver o maior número possível de espectadores. Além de dirigir, o trabalho de Schlingensief na encenação de O Navio Fantasma foi apresentado no Teatro Amazonas, envolvendo uma grande equipe de técnicos e elenco internacionais e locais. O projeto também incluiu a produção de 18 curtas-metragens que Schlingensief filmou em Manaus e depois apresentou na Haus der Kunst, em Munique.

CHRISTOPH SCHLINGENSIEF

Christoph Schlingensief (Oberhausen, 1960 - Berlim, 2010) constantemente desafiava e transgredia fronteiras em sua vida e na arte. Seu trabalho incluiu filmes experimentais e longa metragem, teatro, ópera, performance, instalações, literatura, programas de TV, peças de rádio ... Sua arte antecipa, comenta e reage ao seu contexto social, abordando tópicos como a história alemã, religião, instituição da família e representações da mídia sobre os eventos contemporâneos. Sua demanda radical e provocativa por ação e reação questiona o que ele via como um sentimento destrutivo de complacência política e artística e garantiu sua posição excepcional na arte contemporânea. Nascido em Oberhausen, Alemanha, em 1960, Schlingensief trabalhou internacionalmente por mais de trinta anos, até sua morte em 2010. Schlingensief não se interessou por nenhum meio, Schlingensief transitava entre gêneros e disciplinas que lidam com extremismo político e descontentamento social, história e presente, combinando essas questões com perguntas universais relacionadas à fé e superstição, verdade e engano, vida e morte. Fosse criando filmes, criticando a sociedade, estabelecendo seu próprio partido político, construindo uma reprodução de sua igreja de infância, apresentando-se no palco até ser preso pela polícia local, fundando uma Vila Ópera em funcionamento na África ou instalando exposições em museus, Schlingensief se envolveu profundamente com sua cultura e o meio artístico. Dirigiu peças de William Shakespeare e óperas de Richard Wagner, e foi profundamente influenciado por Joseph Beuys, Rainer Werner Fassbinder e pelo acionismo vienense.

O NAVIO FANTASMA

Direção: Christoph Schlingensief | Condutor: Luiz Fernando Malheiro | Solistas: Gary Simpson, Stephen Bronk, Eiko Senda, Ricardo Tuttmann, Elaine Martorano, Martin Muehle | Atores: Karin Witt, Klaus Beyer, Koia Refkalefsky, Edenelza Sahdo, Bolinha Gonzaga, ... | Amazonas Filarmônica | Coral do Amazonas | Direção do coro: Maria Antonia Jiménez | Cenografia: Christoph Schlingensief, Tobias Buser | Figurino: Aino Laberenz | Vídeo: Kathrin Krottenthaler | Assistente de vídeo: Marilia Halla | Iluminação: Caetano Vilela | Assistente de iluminação: Moises Vasconcellos | Dramaturgistas: Matthias Pees, Carl Hegemann, Ricardo Muniz Fernandes | Coreografia: Adriana Almeida | Assistente de coreografia: Iramaia Gongora | Diretor de palco: Flávia Furtado | Co-repetidor: Franco Bueno | Documentação: Lennart Laberenz, Michael Truckenbrodt | Direção técnica: Julio Cesarini | Produção técnia: Central técnica de produção (Marcos Apolo Muniz) | Assistente de direção: Anna-Sophie Mahler, Leonardo Schattschneider | Estagiários: Julian Pörksen; estudantes da HBK Braunschweig: Dorothea von Stilfried, Malte Struck, Tobias Dostal


Produção: prod.art.br | Direção de produção: Matthias Pees, Ricardo Muniz Fernandes | Assistência de produção: Ricardo Frayha | Administração: Veridiana Fernandes

Realização: Governo do Estado de Amazonas, Secretaria de Estado de Cultura, Associação de Amigos da Cultura, Goethe-Institut São Paulo
Patrocínio: Kulturstiftung des Bundes | Apoio: Haus der Kunst München, Hamburg Süd

X Festival Amazonas de Ópera

Teatro Amazonas

Manaus, AM, Brasil

20, 22 e 25/04/2007