Testigo de las Ruinas
Testigo de las Ruinas

©Mapa Teatro

press to zoom
Testigo de las Ruinas
Testigo de las Ruinas

©Mapa Teatro

press to zoom
Testigo de las Ruinas
Testigo de las Ruinas

©Mapa Teatro

press to zoom
Testigo de las Ruinas
Testigo de las Ruinas

©Mapa Teatro

press to zoom
Testigo de las Ruinas
Testigo de las Ruinas

©Mapa Teatro

press to zoom
Testigo de las Ruinas
Testigo de las Ruinas

©Mapa Teatro

press to zoom

Teatro | TURNÊ | 2011

MAPA TEATRO

Testigo de las Ruinas

Testigo de las Ruinas condensa nossa experiência como testemunha de um dos mais ambiciosos projetos de desenvolvimento urbano realizados em Bogotá, na virada do milênio. Fala de nossa escolha como artistas, confrontados com os profundos paradoxos da realidade; nosso papel de testemunho. É o precedente dos quatro projetos desenvolvidos pelo Mapa Teatro entre 2001 e 2005: C'úndua, Prometeo I y II Acto, Re-corridos e La limpieza de los establos de Augías. Realizada em teatros e museus, bem como em espaços não convencionais, o Testigo de las Ruinas reúne em um dispositivo de quatro telas móveis, imagens, testemunhos e histórias dos últimos habitantes do distrito de Santa Inés-El Cartucho, antes, durante e depois de sua demolição e construção de um 'não lugar', o Terceiro Milênio. Antes e através do olhar da última moradora do distrito de El Cartucho, Juana Ramirez, que realiza no palco a mesma ação que ela realizava diariamente durante seus últimos anos no distrito (preparando arepas e chocolate quente), em uma cerimônia de despedida de episódio importante na vida de nossa cidade. No entanto, esse evento de despedida constitui um ato de resistência contra o esquecimento, contra o desaparecimento sem deixar rasto. A vitalidade dessa mulher, sua última gargalhada no meio do parque vazio e solitário, serve como testemunho brutal da força de sobrevivência nos seres humanos antes do desastre produzido pelos paradoxos e pela arbitrariedade do poder.

MAPA TEATRO

O Mapa Teatro é um laboratório de artistas dedicado à criação transdisciplinar. Sediado em Bogotá desde 1986, o Mapa Teatro foi fundado em Paris em 1984 por Heidi, Elizabeth e Rolf Abderhalden, artistas visuais e de teatro da Colômbia. Desde a sua criação, o Mapa Teatro construiu uma cartografia no meio das artes vivas, um espaço propício para transgredir - fronteiras geográficas, linguísticas, artísticas - e encenar questões locais e globais por meio de várias operações de "montagem de pensamentos". Um espaço de migração, onde mito, história e atualidade existem continuamente; esferas íntimas e públicas; linguagens artísticas (teatro, ópera, cabaré, rádio, instalações de som e vídeo, intervenções urbanas, ações e conferências performáticas); autores e épocas (Ésquilo, Müller, Shakespeare, Sarah Kane, Antonio Rodriguez, Händl Klaus); geografias e idiomas (La Noche / Nuit em francês e espanhol; Muelle Oeste em russo, Un señor muy viejo con una alas enormes em tamul; De Mortibus em inglês, espanhol e francês; voz, imagem e movimento (Psicosis 4:48, Simplemente complicado); memória e cidade (Proyecto Prometeo, La limpieza de los Establos de Augías, Testigo de las Ruinas, Cartografías movedizas); voz, música e eletrônica ao vivo (Simplemente complicado, Historia de amor, La flauta mágica, Orfeo) simulação e realidade (Exxxtrañas Amazonas, Trans/posiciones), documento e ficção, poética e política (Horacio, Los Santos inocentes, Discurso de un Hombre Decente y Los incontados: un tríptico). Daí o interesse do Mapa Teatro nos processos e eventos criativos "in vivo"; na tradução e transposição de escritos e partituras cênicas; e na operação de reunir documentação, arquivos e ficções. Nos últimos anos, o Mapa Teatro concentrou-se particularmente na produção de eventos político-poéticos através da construção de etno-ficções e da criação efêmera de comunidades experimentais. O Mapa Teatro gera processos de investigação e pesquisa artística, desenvolvidas em diversas esferas e cenários de uma realidade colombiana. São laboratórios de imaginação social.

TESTIGO DE LAS RUINAS

Conceito e direção: Heidi Abderhalden e Rolf Abderhalden | Dramaturgia: Heidi Abderhalden | Assistente de direção: Ximena Vargas | Com: Juana Ramírez | Design visual: Rolf Abderhalden | Sonoplastia e composição: Carlos Benavides "Champi" | Diretor de palco e iluminador: José Ignacio Rincón | Câmera: Lucas Maldonado, Heidi Abderhalden | Edição: Lucas Maldonado, Rolando Vargas, Luis Antonio Delgado | Produção: Ximena Vargas

Produção no Brasil: prod.art.br | Direção de produção: Matthias Pees, Ricardo Muniz Fernandes | Produção executiva: Jussara Rahal, Ricardo Frayha | Direção técnica: Julio Cesarini


Realização: Sesc São Paulo

Sesc Pompeia

São Paulo, SP,  Brasil

26 e 27/04/2011