Tsunayakata
Tsunayakata

©Yukiza

press to zoom
Shinpan Utazaimon - Nozakimura no Dan
Shinpan Utazaimon - Nozakimura no Dan

©Yukiza

press to zoom
Tsunayakata
Tsunayakata

©Yukiza

press to zoom
Shinpan Utazaimon - Nozakimura no Dan
Shinpan Utazaimon - Nozakimura no Dan

©Yukiza

press to zoom
Shinpan Utazaimon - Nozakimura no Dan
Shinpan Utazaimon - Nozakimura no Dan

©Yukiza

press to zoom

Teatro | TURNÊ | 2008

YUKIZA

Tsunayakata 

Shinpan Utazaimon

O grupo japonês tradicional de teatro de marionetes Yukiza foi criado por Yuki Magasoburo I no início do período Edo, no século XVII. Mais de 370 anos depois, Magosaburo XII é o mestre de marionetes dessa companhia de Tóquio. Na turnê brasileira, pela primeira vez na América do Sul, serão realizados extratos de duas peças tradicionais. Tsunayakata (A Casa de Tsuna), que narra a batalha entre o chefe do clã Tsuna e um demônio que, disfarçado de velhinha, entra na Casa de Tsuna e recupera seu braço, que o guerreiro havia cortado em um confronto anterior. Em Shinpan Utazaimon - Nozakimura no Dan (Nozaki Village), seguimos o romance impossível de dois jovens amantes.

YUKIZA

Yukiza, uma companhia de teatro de marionetes, foi fundada por Yuki Magosaburo I, durante o período Edo(1603-1868). Com uma história de mais de 370 anos, a companhia é, atualmente, liderada por Magosaburo XII. Conforme o antigo documento Osatsuma-Keizu, “Yukiza é o mais antigo teatro de marionetes de Edo (atual Tóquio)”, que apresenta interpretações de sutras budistas, acompanhadas de narrativa e de música do instrumento de três cordas shamisen. Yukiza foi um dos primeiros grupos a adaptar as parábolas budistas para outras formas de apresentação, mantendo o acompanhamento da narrativa joujuri e shamisen, quando a  popularidade desse tipo de histórias diminuiu. O grupo instalou um teatro permanente no distrito de Fukiya, Edo, e apresentou vários trabalhos de sua criação, incluindo Meiboku-Sendaihagi (luta de uma família por domínio feudal) que é também popular no teatro tradicional japonês Kabuki. Após a Reforma Tempo (1841), cinco grupos – três de teatro Kabuki (Ichimuraza, Nakamuraza e Kawarazakiza) e dois de teatro de bonecos (Satsumaza e Yukiza) – juntaram-se e deslocaram-se para Saruwaka-cho, distrito de Edo, onde receberam reconhecimento oficial e suporte financeiro do shogunato. Com o passar do tempo, no entanto, o teatro Kabuki perdeu-se, o Satsumaza deixou de existir e o Yukiza tornou-se o único teatro de marionetes que conservou a sua performance original. Em 1956, Yukiza foi designado como um importante bem cultural pelo Governo Metropolitano de Tóquio. Recebeu reconhecimento do governo nacional em 1995. Desde então, com os esforços de Yuki Sessai da Companhia Yukiza, recebeu inúmeros prêmios de várias entidades. Além de continuar com as apresentações de parábolas budistas, Yukiza atualmente produz novos trabalhos e divulga-os no exterior, como na Europa, Ásia Central, Sudeste Asiático e União Soviética. Um dos prêmios recebidos é pela versão de Macbeth de Shakespeare, apresentada em 1986 no Festival Internacional de Teatro de Belgrado. Em abril de 2002, seis manipuladores de Yukiza foram convidados para tomar parte em uma produção conjunta do Teatro Público de Setagaya, de Tóquio, do Teatro Nacional de la Colline, de Paris, e Le Quartz, de Brest. Essa produção, Les Paravents, escrita pelo francês Jean Genet e com a direção de Frederic Fisbach (diretor associado do Festival de Avignon de 2007), foi apresentada na França, Japão e Áustria e ganhou o Prêmio Mont Blanc no Festival Internacional de Teatro de Salzburg. Seus trabalhos recentes englobam desde obras clássicas até peças modernas. 

COMPANHIA YUKIZA

Manipulação De Boneco: Magosaburo Yuki, Chie Yuki, Ikuko Yuki, Setsuko Arakawa, Kyoko Shiokawa, Koh Hirai, Junko Hashimoto, Nozomi Nagai | Direção de palco: Hitoshi Yoshiki | Operação de luz : Keiichi Ohya | Operação de som: Minako Teruyama | Assistência de palco: Duk An Cho | Produção: Maki Sawada | Design de luz: Shigeo Saito

Produção no Brasil: prod.art.br | Direção de produção: Matthias Pees, Ricardo Muniz Fernandes | Produção executiva: Ricardo Frayha | Direção técnica: Júlio Cesarini | Intérpretes: Janete Aya Ohara, Marcelo Massao Hayashi

Apresentações dentro da programação especial comemorativa dos 100 anos de imigração japonesa no Brasil. 

 

Realização: Fundação Japão, Sesc São Paulo | Apoio: Sistema FIRJAN, Funarte, Embaixada e Consulado do Japão no Brasil

Sesc Santos

Santos, SP, Brasil

14 e 15/02/2008

Teatro Sesi

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

19 e 20/02/2008

Teatro Funarte Plínio Marcos

Brasília, DF, Brasil

23 e 24/02/2008

Sesc Consolação

São Paulo, SP, Brasil

27 e 28/02/2008